Bem-vindo à casa com necessidades energéticas nulas

Construída com as técnicas certas, uma casa pode produzir tanta energia quanto a que utiliza.

16_9_master_0007s_0011_shutterstock_519426499

Pagamentos de energia em vez de contas

E se recebesse pagamentos de energia em vez de contas de energia? E vivesse numa casa que contribuía positivamente para a redução dos impactos ambientais? Essa é a promessa de construção com necessidades energéticas nulas1, na qual uma casa utiliza tantas medidas de eficiência energética que o seu consumo de energia é anulado (ou mesmo ultrapassado) por energias renováveis geradas no local ou nas proximidades. 

Quando os edifícios são responsáveis por cerca de um terço do consumo global de energia e por 20 porcento das emissões de CO2 (atingindo mesmo 50 porcento nas maiores cidades 2), tudo o que possamos fazer para torná-los mais eficientes é positivo. No entanto, para atingir a meta de Paris de limitar o aquecimento global a 1,5 graus Celsius, teremos de construir novos edifícios (e renovar os existentes) de acordo com as normas de necessidades energéticas nulas até 2050 3.  

Objetivo ambicioso

Em 2010, a UE chegou a acordo para que todos os novos edifícios em países da União Europeia fossem construídos com níveis de necessidades energéticas quase nulas (nZEB) até 2020 4. É uma meta exigente, mas o objetivo de necessidades energéticas quase nulas pode ser alcançado com tecnologia que já existe: medidas "passivas" (tais como o isolamento) combinadas com a utilização de energias renováveis. Para além de contribuírem de forma insignificante para as emissões de CO2, estes edifícios dão também outros contributos positivos. 

Reduzem a dependência da energia, dando, em última análise, aos países e regiões mais controlo sobre o seu abastecimento energético; além disso, criam empregos e estimulam o crescimento económico. Existe também um benefício financeiro significativo. Um design com eficiência energética pode poupar até 80 porcento dos custos operacionais de um edifício, muitas vezes com pouco ou nenhum custo adicional ao longo da vida útil da medida5.

Devido à sua grande eficácia na retenção de calor ou da sua manutenção no exterior, o isolamento de lã de rocha ROCKWOOL ajuda os construtores a criar edifícios com necessidades energéticas nulas. Reduz a necessidade de aquecimento e arrefecimento adicionais, reduzindo de forma significativa a exigência de energia e as emissões.

1: Zero Energy Project, "What are Zero Energy Homes"
2: C40 Cities, Urban Efficiency II: Seven Innovative City Programmes for Existing Building Energy efficiency 
3: World Green Building, "From Thousands to Billions"
4: European Commission, "Nearly zero-energy buildings"
5:  Buildings Performance Institute Europe (BPIE), "Principles for nearly zero-energy buildings"

O que é um edifício com "necessidades energéticas quase nulas"?

Apesar de haverem muitas definições diferentes para termos como "quase", "nulo" e "carbono", a Diretiva Europeia Relativa ao Desempenho Energético dos Edifícios (EPBD, 2010/31/CE) apresenta uma descrição útil de "quase nulo": "Um edifício com um desempenho energético muito elevado... As necessidades de energia quase nulas ou muito pequenas deverão ser cobertas em grande medida por energia proveniente de fontes renováveis, incluindo energia proveniente de fontes renováveis produzida no local ou nas proximidades.

 

Referência: União Europeia, "Diretiva 2010/31/UE do Parlamento Europeu e do Conselho"

1_1_master_0007s_0022_shutterstock_403414774

A primeira casa na Noruega com necessidades energéticas nulas

Construir uma casa com necessidades energéticas nulas envolve normalmente a construção de duas estruturas, para que o isolamento possa ser suficientemente resistente: uma cobertura exterior para manter o local quente e seco e, em seguida, a verdadeira casa, no interior. Utilizando um sistema de isolamento ROCKWOOL completo, incluindo FLEXSYSTEM e placas Flexi A, Wencke Nordli e Martin Østensen conseguiram evitar essa complicação.  O casal verificou poupanças energéticas até mesmo durante a construção e espera obter poupanças substanciais comparativamente à sua anterior conta de energia anual de NOK 35.000.

1_1_master_0007s_0005_shutterstock_591332660