Como construir um futuro sustentável

A eficiência energética pode reduzir a pegada ambiental de uma população crescente

Maior exigência de energia

Globalmente, os edifícios têm um grande impacto sobre o meio ambiente. Atualmente, consomem cerca de um terço da energia que utilizamos e produzem um quinto das nossas emissões globais de CO2. Com base nas tendências atuais, este impacto vai intensificar-se no futuro, à medida que a crescente população mundial se torna rapidamente mais urbanizada.

Até 2050, irão provavelmente haver 9,7 mil milhões de pessoas a viver no planeta. Com cerca de 1,5 milhões delas a mudar-se para ambientes urbanos todas as semanas, a probabilidade de as pessoas viverem em cidades vai ser cada vez maior, onde passam normalmente até 90 porcento do seu tempo dentro de casa. Uma vez que todas as pessoas querem um ambiente interior confortável, isso cria uma maior procura por energia, para sistemas de ar condicionado e aquecimento. Para as famílias, isso pode ser dispendioso. Aquecer, refrigerar e ventilar as nossas casas são os nossos maiores gastos de energia, sendo responsáveis por até 16% do consumo total médio de uma família!.

Os edifícios são responsáveis por um terço da utilização global de energia

Como superar os desafios

Estima-se que esta combinação de crescimento populacional e urbanização pode duplicar ou mesmo triplicar o consumo de energia e as emissões do setor da construção até 2050. Numa altura em que o mundo precisa urgentemente de reduzir o CO2 e melhorar a eficiência energética, isso representa um desafio aparentemente impossível. Como pode uma população urbana crescente viver de forma sustentável?

A solução está bem diante de nós, nas nossas casas e locais de trabalho. Atualmente, muitos deles desperdiçam energia, permitindo que o calor valioso escape em climas mais frios ou utilizando demasiada energia para refrescar os ocupantes em locais mais quentes. A tecnologia de eficiência energética atual já pode fazer uma enorme diferença: apenas com um isolamento adequado, é possível poupar até 70 porcento das nossas necessidades de aquecimento nos edifícios. Ao renovar os edifícios existentes e garantindo que os novos cumprem elevados padrões de desempenho, podemos reduzir drasticamente as exigências de energia e as emissões de CO2, mesmo com o crescimento das populações urbanas.

Quando as metas ambientais são mais importantes do que nunca, a melhoria da eficiência energética dos edifícios apresenta uma oportunidade imediata para tornar as nossas cidades mais saudáveis, mais seguras e mais sustentáveis.

1Gráfico informativo de aquecimento e refrigeração

Definição de eficiência energética

O termo "eficiência energética" significa geralmente a capacidade de prestar o mesmo serviço (por exemplo, aquecimento, refrigeração, mobilidade) com menos energia. No entanto, para os edifícios, esta definição não leva em consideração os inúmeros benefícios adicionais da eficiência energética, que variam de casas mais saudáveis e confortáveis até à criação de emprego, segurança energética, desenvolvimento social, melhor qualidade do ar e crescimento económico.

Utilização de energia
0

de utilização global de energia proveniente de edifícios

Moradores urbanos passam até
0

do seu tempo em espaços fechados

Custo de pessoas
0

dos custos operacionais relacionados com as pessoas